TV Portal

DCTD captura suspeitos em operação contra a venda de anabolizantes na Capital


A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) capturou quatro suspeitos em flagrante com vasto material de esteroides anabolizantes na Capital. As prisões foram fruto de um trabalho de investigação desenvolvido pela Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) contra a comercialização desses produtos com venda proibida no Brasil. Em menos de 15 dias, além das prisões, diversos medicamentos utilizados para melhorar o desempenho físico foram apreendidos nas residências dos suspeitos em bairros de Fortaleza. Os casos foram apresentados em coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (1º), na sede da DCTD, no bairro de Fátima.
Entre os dias 11 e 22 de março, em mais uma ação de combate à comercialização de medicamentos com venda proibida no Brasil, os policiais civis da DCTD identificaram e prenderam quatro suspeitos. Durante as buscas no imóvel de um dos acusados os policiais civis encontraram também psicotrópicos e até um medicamento abortivo. Foram apreendidas 192 ampolas, 55 caixas, 14 cartelas e 136 caixas vazias de diversos medicamentos cujas substâncias têm venda proibida.
Em outra residência,  no bairro Conjunto Ceará, na AIS 2, foram apreendidas 237 ampolas de substâncias, dez caixas, 136 caixas vazias e 14 cartelas de comprimidos anabolizantes. 
Primeiras divulgações
Os outros dois suspeitos foram presos nos dias 11 e 14, nos bairros Mondubim e Canindezinho, nas AIS 2 e 9, pelos agentes da DCTD e revelou aos policiais que os produtos eram destinados para consumo próprio, mas confessou que chegou a repassar os medicamentos para algumas pessoas. Entre os produtos encontrados na casa do suspeito, encontrava-se um medicamento inibidor de apetite, cuja venda é permitida mediante apresentação de receita médica, documento que não foi apresentado aos policiais pelo investigado.
A DCTD segue investigando o envolvimento dos homens com a comercialização dos medicamentos e trabalha para identificar outros suspeitos da atividade ilícita. Os presos vão responder criminalmente pela venda, distribuição ou entrega de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais, sem registro de órgão de vigilância sanitária, conforme artigo 273 do Código Penal, com pena que varia de dez a 15 anos de reclusão.
Denúncias
A população pode colaborar com os trabalhos investigativos repassando informações que tenha conhecimento sobre o tráfico de drogas e a distribuição de medicamentos de venda proibida no Brasil. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3472-1550, da DCTD, ou ainda para o número (85) 98895-5749, que é o WhatsApp da Divisão, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.‬‬‬‬
Fonte: SSPDS