TV Portal

Cariri - Juventudes do campo constroem um novo futuro com diálogo e troca de experiências

Com os versos de Patativa do Assaré, cerca de 200 jovens dos municípios de Altaneira, Antonina do Norte, Araripe, Assaré, Campos Sales, Nova Olinda, Potengi, Santana do Cariri, Salitre e Tarrafas desembaracaram, no início desta manhã, na Escola Profissionalizante Presidente Médici, em Campos Sales. “Não nego meu sangue, não nego meu nome. Olho pra fome e pergunto: o que há. Eu sou brasileiro, fio do Nordeste. Sou Cabra da Peste, sou do Ceará”, citaram o poeta popular representantes dos dez municípios do Cariri Oeste.
O público participa até o próximo domingo (10) do “Festival das Juventudes do Semiárido: Agroecologia e Democracia”, que debate e aponta caminhos para execução do Projeto Paulo Freire e para a superação das vulnerabilidades sociais. O território do Cariri Oeste é a última das quatro regiões atendidas pelo Projeto Paulo Freire a receber uma das edições territoriais do festival que promove, além dos debates, oficinas e intercâmbios.
Os jovens participam, além de painéis e debates, de oficinas e intercâmbios envolvendo assuntos como comercialização dos produtos da agricultura familiar, violência contra a mulher, crédito fundiário, acesso à terra, turismo ecológico, agrofloresta, raça e etnia, dentre outros temas. “O Festival (das Juventudes) traz a ousadia e a missão de integrar os jovens, independente de onde eles têm as suas vidas plantadas”, sintetizou a coordenadora do projeto Íris Tavares.

Passado e futuro

Em seu discurso, o secretário do Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz, relembrou o percurso histórico entre “o Ceará que padecia com o flagelo da seca” e o momento atual, onde políticas públicas possibilitam a cidadania para centenas de milhares de famílias do campo. “Temos, sim, que ter referências em nossos avós e pais, como também precisamos ter um olhar diferenciado para o futuro das juventudes do semiárido”, frisou.
Ainda segundo ele, o governador Camilo Santana quer dialogar com esse novo caminho, “estabelecido a partir do Projeto Paulo Freire”: “o caminho da esperança e da dignidade para homens e mulheres do campo”. “Nós sabemos que, neste encontro, vamos realizar intercâmbios para que vocês possam trocar conhecimentos. São oportunidade para que vocês conheçam experiências exitosas para que esses conhecimentos sejam replicados nos locais onde vocês residem”.
“(Ser jovem agricultora) É uma escolha porque é nossa história, é a nossa vida, nós somos resistentes. Sou muito feliz em dizer que sou uma jovem do semiárido e jamais sairia de onde vivo para viver outra história”, resumiu o espírito do festival das juventudes, a jovem Laís Vertano.

Histórico

O Festival da Juventudes do Semiárido já ocorreu nos municípios de Tauá, entre 24 e 26 de janeiro; Sobral, entre 30 de novembro e 2 de dezembro de 2018; e Ipueiras, entre 15 e 16 de novembro de 2018. Ainda neste ano, está prevista uma etapa estadual do Festival das Juventudes do Semiárido. O evento reúne jovens representantes do campo das regiões do Cariri, Inhamuns e Sobral, a fim de apontar direções e políticas públicas a serem executadas pelo Governo do Ceará.
Os eventos são uma promoção da Secretaria do Desenvolvimento Agrário, através do Projeto Paulo Freire, e contam com o apoio do Instituto Agropolos do Ceará (IACe). A realização da edição deste final de semana fica por conta do Instituto Flor do Piqui e ONG Cactus, em parceria com a Fetraece e Prefeitura de Campos Sales. O projeto é financiado através de recursos garantidos através de um acordo de empréstimo envolvendo o Governo do Ceará e o Fundo Internacional de Desenvolvimento da Agricultura (FIDA).
Fonte SDA