TV Portal

Hora de Plantar inicia distribuição de sementes em Canindé


Agricultores do Sertões de Canindé começam a receber nesta quinta (3/1), as sementes do Hora de Plantar. Após distribuir as sementes do território dos Sertões do Cariri e iniciar a distribuição nos territórios dos Sertões de Crateús, Inhamuns, Sertão Central e Ibiapaba, os agricultores do município de Canindé aguardam as primeiras chuvas do ano para que umidade do solo seja a ideal e iniciarem o plantio. Nesta 32ª edição, as sementes e mudas do programa chegam mais cedo às mãos do homem e da mulher do campo.
Somente em Canindé, segundo a Coordenadoria de Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Codaf/ SDA), a demanda de feijão é de 25 mil quilos; outros 2.290 de milho híbrido; 24.260 de milho variedade; e 6.245 de sorgo forrageiro, abastecidos pelo armazém da Ematerce em Quixeramobim. Além de Canindé, o equipamento pretende atender os municípios de Itatira (28.250 kg), Madalena (21.520 kg) e Boa Viagem (56.145 kg). As cidades de Caridade e Paramoti, abastecidas pelo armazém de Barreira, serão atendidas com 23.350 kg e 16.560 kg, respectivamente.
“Não plantem a semente hoje, já vimos que o solo ainda não possui umidade suficiente. Guardem (as sementes) protegidas do Sol, guardem protegidas de umidade e, assim que tivermos uma boa chuva, plantem para que possamos comemorar uma boa produção”, recomenda a coordenadora de Agricultura Familiar (Codaf/SDA), Neyara Araújo. As próximas etapas incluem o início da distribuição das sementes de milho variedade e híbrido, feijão caupi nos territórios do Centro-Sul, a partir da próxima semana, e do Vale do Jaguaribe, Região Metropolitana, Litoral Leste e Oeste, Serra de Baturité e Sertões de Sobral, na próxima quinzena.
Nesta edição, o Hora de Plantar chega ao roçado de 154.423 agricultores familiares em todos os territórios do Estado do Ceará com um investimento do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) de R$ 17,2 milhões. O programa fornece sementes e mudas frutíferas, de caju e nativas abaixo do que é comercializado pelo mercado. Além de pagarem um valor menor pelas sementes, que obedecem um critério de qualidade ainda mais rigoroso do que o praticado pelo governo federal, ainda é concedido o perdão da dívida caso seja constatada a perda de safra.
“É importante o nosso produtor compreender que Canindé recebe hoje (um investimento de) R$ 190 mil e em todo Estado do Ceará são (quase) R$ 18 milhões. Se fossemos comprar essa mesma semente a preço de mercado gastaríamos em torno de R$ 40 milhões”, enfatiza o presidente da Ematerce, Antônio Amorim. “Nesse momento, o governo facilita o programa (Hora de Plantar) com a criação de uma boa demanda para aquisição de sementes, as pessoas recebem e contribuem com apenas 50% desse investimento”, enfatiza o presidente da Ematerce, Antônio Amorim.

Pão de cada dia

Um dos agricultores que recebeu nesta manhã as sementes do Hora de Plantar foi José Felipe Soares, de 68 anos. “Tá chegando cedo! É muito bom a gente plantar a semente do governo, porque o Ceará é pobre e precisa. Agora estamos esperando um bom inverno, e se Deus quiser vai ser”, comemora.
Evangélico, acostumado a repartir as sementes sempre que os vizinhos precisam, Zé Felipe, recorre a fé pedindo chuvas. “Neste fim de ano, passei pedindo a Deus um bom inverno, um bom tempo para termos o pão de cada dia na mesa de todos nós”.
Ascom | André Gurjão - andre.gurjao@sda.ce.gov.br