TV Portal

Quer pegar as malas e estudar fora do país?





Conheça os teste de admissões para graduação no exterior
Estudar no exterior é o grande sonho de muitos estudantes. Mas são necessárias inúmeras etapas de preparação até se estar pronto para pegar as malas e partir rumo a novos conhecimentos em outro país. O processo seletivo para entrar em universidades no exterior é bem diferente do vestibular brasileiro. Aqui, os estudantes ingressam através dos programas de governo ou através dos processos seletivos de cada instituição. Já lá fora, parte do processo de aceitação nas universidades são os testes de admissão. 
Basicamente, as universidades no exterior querem saber como foi o desempenho acadêmico do estudante no ensino médio, conhecer quais atividades extracurriculares ele participou e conhecer a sua trajetória pessoal. Um ponto importante a ser analisado é que, mesmo existindo etapas comuns a todas as universidades, cada instituição tem as suas particularidades no processo. Portanto, é preciso ficar atento.
Nos Estados Unidos, os testes que podem ser solicitados pelas universidades são o SAT I, ACT e SAT II, que são uma espécie de Enem. E todos os americanos e estrangeiros que desejam estudar no país devem fazer uma ou mais destas provas, normalmente durante o ensino médio. Além desses testes de admissão, os alunos estrangeiros devem realizar teste de idioma, como o TOEL e o IELTS para o inglês, o DELF para o francês, o DELE para o espanhol e o CELI para o italiano.
Por mais que esses testes pareçam estressantes, não dá para evitá-los. As provas de proficiência são necessárias para avaliar se os alunos vão conseguir acompanhar os conteúdos das aulas ou não. E, se você, também está se preparando para estudar em uma universidade no exterior, mas ainda não sabe quais são os teste que você realmente precisa fazer, conheça agora, alguns deles prepare-se.
SAT - O Scholastic Aptitude Test é um dos testes de admissão mais comuns dos EUA. O exame tem o objetivo de avaliar os conhecimentos e habilidades de raciocínio crítico do aluno através de três áreas: Matemática, linguagem e interpretação de textos e escrita. Uma das principais características da prova é a sua rapidez. Você terá apenas 25 minutos para escrever uma redação de uma página, por exemplo.
SAT II - Os SAT II são complementares ao SAT I e podem te ajudar a mostrar para a universidade em quais matérias você é muito bom, além dos conhecimentos gerais avaliados pelo SAT. Você pode fazer o SAT II em 20 áreas diferentes como Literatura, História Geral, História dos EUA, Matemática 1 e 2, Biologia, Química, Francês, Alemão, Espanhol, entre outros.
ACT: O ACT é um teste de admissão que é aceito no lugar do SAT na maioria das universidades dos EUA. A prova é composta por quatro seções: Inglês, Matemática, Interpretação de Texto e Raciocínio Científico. O exame também contém uma seção optativa de Escrita, na qual os estudantes redigem um essay – os Essays, ou Ensaios, são redações e todas as respostas escritas que você terá que produzir como parte da sua application.
TOEFL: O Test Of English as a Foreign Language é um teste padronizado que mede a capacidade de um aluno de usar e entender inglês em um contexto acadêmico. O exame é exigido por muitas faculdades e universidades nos EUA e em outros países. A prova tem quatro seções: Leitura, Escuta, Fala e Escrita, cada uma com uma pontuação máxima de 30 pontos. O exame tem pontuação total máxima de 120 pontos. As faculdades e universidades no exterior mais competitivas, geralmente, exigem que os alunos obtenham uma pontuação acima de 100.
IELTS: Assim como o TOEFL, o International English Language Testing System é um teste padronizado que mede o nível de inglês de uma pessoa. O IELTS tem duas versões: a Academic Version, para quem pretende se matricular em uma universidade da língua inglesa; e a versão General Training Version, para quem pretende utilizar o teste para experiências de trabalho ou em formações não acadêmicas. A prova tem quatro seções: Leitura, Escuta, Fala e Escrita. A pontuação máxima no IELTS é de 9 pontos e as universidades de fora mais competitivas, geralmente, requerem um score de 7 ou 8 no teste.
Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil