TV Portal

Boa Viagem - Prestadores de serviço com salários atrasados começam a cruzar os braços em Boa Viagem

Com salários atrasados há três meses os garis de Boa Viagem começaram a cruzar os braços. Fotos > VCrepórter

Garis terceirizadosmotoristas de carros coletores, de transportes escolarese até monitores dos alunos a caminho da escola estão começando a cruzar os braços em Boa Viagem, no Centro do Estado. O motivo da paralisação, de acordo com a presidente do sindicato dos Servidores Públicos do Município de Boa Viagem (Sindboa), professora Ana Clécia Campelo, é o atraso no pagamento dos salários.
No caso dos garismais de 30, estão a três meses sem receber seus ordenados;  os monitores dos estudantes, são dois meses. A situação dos motoristas dos carros de lixo é a mais grave, alguns estão há 11 meses sem salários e dos ônibus escolares completou três meses. Até os postos de combustíveis pretendem aderir à paralisação. Não recebem o pagamento da prefeitura desde o inicio do segundo semestre.
Os reflexos da crise financeira na administração municipal estão sendo sentidos por toda a cidade. O lixo começa a se acumular nas ruas, apontam os moradores. Os empregados temporários receiam se manifestarem. Têm medo de perderem os seus empregos. Ao mesmo tempo estão ficando angustiados. As dívidas aumentaram e não estão mais nem conseguindo comprar fiado o alimento para as suas famílias.Sobre os atrasos nos pagamentos, a prefeitura de Boa Viagem se limitou a informar que está analisando os problemas. Ainda nesta segunda-feira divulgou nas redes sociais o calendário de pagamento dos servidores do Município. Foram divididos em três segmentos: Educação no dia 7; do Fundo Geral dia 8 e dos aposentados, dia 9. A Nota Informativa é assinada pela secretária de Administração e Planejamento.
A presidente do Sindboa acrescentou:  “A prefeita está cometendo uma série de arbitrariedades e irregularidades. Uma delas está no repasse dos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para pagamento de salários de servidores de outras áreas. O programa, denominado Bolsa Trabalho, foi aprovado pela Câmara Municipal, isso é ilegal“.


A reportagem tentou manter contato com a Câmara de Vereadores. Até a publicação desta edição não havia sido atendida.
Fonte: Diário Do Sertão Central