TV Portal

Policiais Militares da Companhia do Pecém iniciam projeto de Jiu-Jítsu com crianças de escolas públicas

As atividades do Projeto “Arte e Vida” deram início no último dia 18, na Sede da 4ª Companhia do 12º Batalhão Policial Militar, localizada no Pecém. Cerca de 20 crianças, de três escolas públicas locais, estão inscritas no “Arte e Vida” e iniciaram suas atividades, com aulas de jiu-jítsu.
A idealização do Projeto se deu após a construção de um tatame, para treinamento dos policiais militares que trabalham na Companhia. Foi observado que a maior parte do tempo, aquele local ficava desocupado, então, surgiu a ideia de implantar o “Arte e Vida”, projeto de aulas de artes marciais para crianças. Um espaço próprio para o projeto foi montado na sede da 4ª Cia, com tatame e outros instrumentos necessários para a prática do esporte. Os instrutores são policiais militares, voluntários e qualificados para ensinar a modalidade esportiva.
O Projeto tem o objetivo de contribuir para a melhoria da segurança pública através do esporte, utilizando-o como agente de inclusão social. Segundo o MAJ PM Nascimento, Comandante da 4ª Cia do 12º BPM, “A intenção desse Projeto é mostrar às crianças a importância de manter hábitos saudáveis, auxiliando no desenvolvimento corporal, cognitivo e social, diminuindo a violência nas comunidades assistidas.”
Conforme o 1º TEN PM Carvalho, Subcomandante da 4ª Cia do 12º BPM e Coordenador do Projeto, “Acredito que é de suma importância oferecer atividades extracurriculares para as crianças da região. As aulas ocorrem no contra turno escolar e preenche um horário de ociosidade dos alunos, diminuindo assim a vulnerabilidade social dos mesmos, haja vista a comunidade ser bastante carente. Além disso, os alunos conhecem a disciplina, não só pelo fato das instruções ocorrerem em um quartel, mas também porque as próprias artes marciais têm como filosofia a disciplina individual.”
Para participar das atividades, as crianças foram selecionadas pela diretoria das escolas e só foram aprovadas aquelas com bom desempenho escolar. Para continuarem no projeto, elas precisam manter esse bom desempenho. “É uma forma de valorizar os alunos mais dedicados e de ajudar as escolas a acompanhar o comportamento das crianças.” Afirma o 1º TEN PM Carvalho, Coordenador do “Arte e Vida”.
Assessoria de Comunicação Social da PMCE