TV Portal

PECNORDESTE RECEBEU 30 MIL VISITANTES FIRMANDO-SE COMO MAIOR EVENTO PECUÁRIO



O Seminário Nordestino de Pecuária – PECNORDESTE encerrado neste sábado, 7, no Centro de Eventos do Ceará, apresentou um balanço bastante positivo  não somente de participação de produtores, cerca de 4.500,  como de público cerca de 30 mil  e de eventos realizados, em torno de 100 ações, disse o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará – FAEC, Flávio Saboya, que promove o evento juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural- SENAR- CE, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil-CNA e o SEBRAE-CE.
Nossa finalidade maior foi cumprida que é a transmissão do conhecimento, a integração das cadeias produtivas da pecuária, onde foram apresentadas, 81 palestras técnicas nas áreas de avicultura, aquicultura e pesca, apicultura, bovinocultura, caprinovinocultura, equinocultura, Suinocultura, e ainda no artesanato e turismo rural, com 9 auditórios funcionando ininterruptamente. Foram realizados quatro (4) seminários, o III Seminário da Palma Forrageira, o Seminário Sebrae Inovação Digital no Campo,  o Seminário de Contabilidade Rural e o Seminário de Turismo Rural, este último contou inclusive com a presença do Superintendente da Receita Federal no Ceará, João Batista Barros, com importantes informações sobre o e-Social no campo. O Seminário sobre a palma forrageira trouxe também novas e importantes informações, pela EMBRAPA Semiárido, que demonstrou a viabilidade do uso da água salobra de poços, no plantio da palma.
Outra importante ação que gostaria ressaltar, foi a presença dos Presidente de federações de Agricultura do Nordeste e das administrações Regionais do SENAR da referida Região,
A comissão Nacional de Desenvolvimento do Nordeste da CNA, tendo à frente o  presidente da FAEPE, Pio Guerra Junior, aproveitou para realizar a segunda reunião do ano , quando foram discutidos diversos assuntos de interesse dos produtores do Nordeste, como a adesão ao CAR é uma avaliação  do projeto  Forrageiras para o Semiárido, ocasião em que realizou-se também  uma exposição do deputado estadual Carlos Matos, sobre  possibilidades de dessalinização da água do mar em maior escala e energia solar. Sobre o projeto Forrageiras para o Semiárido, durante o PECNORDESTE foi oferecido aos produtores a elaboração do orçamento forrageira da sua propriedade e também duas oficinas de como elaborar um orçamento.
Na abertura do evento, nós  propomos mais uma vez a implantação de um programa de segurança alimentar animal, visando dar mais segurança ao produtor nos períodos de estiagem e  este trabalho de pesquisa que a Embrapa está fazendo a pedido  da CNA,  seleciona variedades de capins perenes, capins anuais, leguminosas e cactáceas que melhor se adaptem às condições climáticas de cada Estado. O principal objetivo é orientar o pecuarista sobre quais forrageiras utilizar.
Saboya destacou ainda as 25 oficinas de Capacitações ofertadas gratuitamente aos produtores durante os 3 dias do evento,  em três espaços diferenciados, na Feira de Produtos e Serviços Agropecuários (dentro da Arena coberta e na Vitrine do Senar), na  Exposição de Animais -EXPOPEC ,e na Sala do Artesanato. Nas palestras foram apresentados também seis casos de sucesso em várias áreas. E na Feira de Animais, cerca de 50 animais das raças bovino, caprino, ovino, Suíno e equino.

PREMIAÇÃO DAS MELHORES TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS
No encerramento do PECNORDESTE, os dirigentes do Sistema FAEC/ SENAR e  Sebrae, fizeram uma homenagem aos expositores do showroom te tecnologias agropecuárias,  e entregaram um troféu é uma mochila do evento. Os três primeiros lugares foram escolhidos pelo público que votou durante os três dias:
HOMENAGEM AO EXPOSITORES DE ANIMAIS 
O Coordenador da Comissão Técnico-Cientifica do PECNORDESTE, Eduardo Barroso Melo fez um agradecimento especial aos expositores e tratadores dos animais que participaram da EXPOPEC e juntamente com o com o coordenador da Exposição Henrique Matias e o Presidente da FAEC, Flávio Superintendente do SENAR, entregaram um troféu.
FEIRA DE PRODUTOS E SERVIÇOS AGROPECUÁRIOS 
Apesar de ser um evento técnico-cientifico, contou com uma área de 5 mil m2 para exposição, onde foi realizada  a XXII Feira de Produtos e de Serviços Agropecuários, estimulando a geração de negócios nas áreas de máquinas e equipamentos, animais, insumos, produtos agropecuários, agroindustriais e artesanais, apoiando o setor produtivo na realização de investimentos, na comercialização de produtos, na apresentação de serviços e incentivando às atividades não agrícolas no meio rural, principalmente, o artesanato e o turismo no espaço rural e natural
Este ano, em um levantamento preliminar da organização, o maior volume de negócios foi com animais, seguindo-se a máquina de ensacar silagem, e alguns produtos como mel, cachaça, rapadura, castanha, e na parte de artesanato, bijuterias e confecções. A Feira PET e da Agricultura Familiar, que ficam dentro do pavilhão da Exposição também movimenta os negócios e atraíram o público. A expectativa dos organizadores é que as vendas deste ano, girem em torno de 400 milhões de reais.
Este  ano, o evento contou  com um espaço maior para exposição de animais no estacionamento do Centro de Eventos , onde se  realiza  uma Exposição de Animais -EXPOPEC, com  50  animais de várias raças adaptadas ao Semiárido, o que deverá incrementar os negócios,  funcionando de 10 às 20h30min. No local,  alguns bancos também estarão oferecendo linhas de crédito especial. Entre as empresas expositoras de animais, estão as Fazendas Teotônio Vila, de Madalena, Misterioso, de Sobral, Bom Jesus, de Caucaia, Gurupá, de Amontada, Lajes, Boa Viagem, Agroita, Itapipoca, e Fazenda UFC, de Fortaleza. Haverá também desfile de cavalos de raça e serão realizadas algumas oficinas de capacitação, disse o coordenador da Feira, engo agrônomo Henrique Matias. O Espaço de gastronomia, comercializa  pratos da culinária regional, sob a coordenação da Associação dos Chefes de Cozinha-ACCC, que leva para o local vários Cheffs.
Presente pela quarta vez na PECNORDESTE, o Espaço Pet encantou ano passado a todos pelo bom público.Com desfiles e oficinas de tosa e adestramento, o local teve grande movimentação, contando com a presença de animais entre gatos e cachorros. Dentro do espaço oito expositores venderam animais, rações, roupas e acessórios, que avaliar uma movimentação em torno de R$ 30 mil reais. O espaço também contou com a presença da ONG Abrace, responsável pela adoção de animais. Foram disponibilizados 25 animais para adoção, sendo 10 delas concretizadas de acordo com os critérios exigidos pela ONG.
MAIS DE 300 kg de MEL COMERCIALIZADOS  

No estande do Sebrae- CE, diversos produtores participaram de uma rodada de negócios sobre mel todos   trabalham com certificação e através de cooperativas , segundo  o articulador de agronegócio do Sebrae, Paulo Jorge, sendo um dos segmentos mais fortes no PECNORDESTE. Vários produtores venderam seus produtos no próprio estande do Sebrae, bem como cajuína e favo de mel dentro do espaço do Sebrae. Todos os produtos saem certificados e comercializados através de cooperativas, tem, inclusive, mel em sachê misturado com menta e até cachaça. A cajuína Jon, de Beberibe, já é certificada e esse ano a produção será de 45 mil litros e é vendida até para a merenda escolar do município. O Mel Natural de Paramoti, onde foi criado há 8 anos uma Cooperativa e certificaram o produto com o apoio do Sebrae. O mesmo aconteceu em Parambu, onde 2 cooperativas vão comercializar esse ano 100 toneladas, em Novo Oriente, a produção será de 80 toneladas e em Itatira a previsão é de 30 toneladas, que serão comercializadas através da Cooperativa – FAPE e da microempresa Itatira Mel.
FEIRA DA AGRICULTURA FAMILIAR
Na Feira da Agricultura Familiar, os negócios foram a todo vapor. Nos estandes  Manhas e Castanhas (Fortaleza/CE), Natbana (Palmácia/CE), Engenho Tradição (Pindoretama/CE), Artcron (Nova Russas/CE), Tapiocaria Artesanal (Eusébio/CE), Fazenda Padre Cícero (Paracuru/CE), Cachaça Gole de Ouro (Cascavel/CE), Cachaça Rapariga (Viçosa do Ceará/CE), Fazenda Açude Novo (Tauá/CE) e Operai (Trairi/CE), as vendas de castanha, produtos feitos de bananas, rapadura de diversos sabores e outros produtos alimentícios e artesanais foram positivas para os expositores. Cerca de 60 unidades dos mais diversos tipos de cachaça foram vendidas, bem como as tapiocas artesanais. Além da oportunidade de venda, os comerciantes e visitantes do espaço elogiaram o evento pela oportunidade de visibilidade de seus produtos e de negócios com outros empreendedores artesanais.
O primeiro lugar recebeu um troféu e uma premiação de R$ 1.500 reais pela produção de um coletor de apitoxina.  O equipamento faz a extração do veneno de abelha de forma simples, prática para ajudar os apicultores. Um equipamento que é capaz de coletar apitoxina em cerca de 40 ou 50 minutos por colméia e extração em média 1 ou 1,5 g. A apitoxina é utilizada pela indústria farmacéutica para produção de alguns cosméticos e remédio para pessoas com artite e artrose. Hoje está sendo comercializada no Brasil por 60 a 80 reais. O equipamento não tem fiação e bateria que dura 10 horas. A produção é alta e a apitoxina é de qualidade. O segundo lugar foi do sistema de Irrigação de Alta eficiência, premiado com R$ 1.000 reais. A irrigação funciona com a reutilização de garrafas PET na construção de sistema de irrigação subperficial em 10 passos: Limpeza e lavagem das garrafas PET, abertura de orifício na garrafa, conexão de garragas, vedação do encaixe com gesso, montagem do emissor, fixação dos emissores, fixação da linha da garrafa na tubulação, ligação da tubulação ao reservatório, abertura das valas para enterrar as garrafas e plantio das mudas. Escolhido pelo público, o terceiro lugar ficou com o sistema de tratamento de esgoto por wetlands, que ganhou 500 reais.  O sistema de tratamento de esgoto doméstico passa por uma espécie de floculação onde se coloca 1 grama de sulfato de alumínio para cada um litro de água.

 O processo seguinte é o de decantação que não se utiliza nenhum químico. A substância pesada vai decantar e a água vai pra filtração. Ela é feita com pedra britada e a planta papola, uma planta aquática. A filtração dá oxigenação a água no final do processo. No encerramento do PECNORDESTE, os dirigentes do sistema FAEC/SENAR e SEBRAE fizeram uma homenagem aos expositores do showroom de tecnologias agropecuária, a quem entregaram um troféu e uma mochila do evento. Os três primeiro lugares foram escolhidos pelo público que votou durante os três dias. O evento contou com a presença do Presidente da FAEC Flávio Saboya, Superintendente do SENAR/AR-CE Sérgio Oliveira e o coordenador do showroom Augusto Junior.

Assessoria de Comunicação
Imprensa Sistema FAEC/SENAR-AR/CE