TV Portal

Na 10ª edição, Prêmio Escola Nota Dez condecora 332 escolas cearenses com melhores resultados

Fotos: Marcos Studart 


A alegria da conquista e o orgulho pelo trabalho de grandes resultados foram os sentimentos levados ao Centro de Eventos do Ceará, nesta quinta-feira (17), por educadores da rede pública estadual, durante a entrega do Prêmio Escola Nota Dez 2017. Na 10ª edição do evento, o Governo do Ceará premiou as 332 escolas cearenses com melhores desempenhos em alfabetização e no Ensino Fundamental ao longo do ano passado.
O governador Camilo Santana, acompanhado da vice-governadora Izolda Cela e do secretário da Educação, Rogers Mendes, entregou as premiações a professores, diretores e gestores públicos de 182 municípios. A iniciativa faz parte do Programa de Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic), responsável por reduzir de 32% para 0,7% o índice de crianças não alfabetizadas na idade certa no período de uma década.
O clima foi de festa na solenidade. Os representantes das escolas subiram ao palco com camisetas identificando as localidades e cada unidade da rede pública condecorada. Alguns grupos de professores e coordenadores subiram entoando canções, acompanhadas por percussões e muitos confetes. Participante da celebração junto aos premiados, Camilo destacou que 2017 foi o melhor ano da história do Paic. Em discurso voltado a todos os profissionais da Educação, o chefe do Executivo enalteceu a competência e a dedicação de todas as escolas envolvidas.
“Esse evento é um coroamento pelo trabalho e dedicação de cada um de vocês. Há mais de dez anos o Ceará fez uma pactuação para construir novos indicadores de qualidade para a Educação. Hoje, cada um, professor, aluno, pai de aluno, servidores, deve ter orgulho de bater no peito e dizer ‘eu faço parte dessa história’. A melhor educação do País hoje é do Estado do Ceará, graças ao esforço de todos”.

Premiação

Neste ano, o Prêmio Escola Nota Dez foi entregue a 150 escolas públicas com os melhores desempenhos de Alfabetização, 150 do 5º ano, além de 32 escolas de 9º ano do Ensino Fundamental. A premiação tem como base os resultados da alfabetização ao término do 2º ano, e das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, ao final do 5º e 9º anos, a partir de informações do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece).

As escolas receberam o prêmio em dinheiro equivalente a R$ 2 mil por cada aluno avaliado atendendo aos critérios do prêmio, enquanto as apoiadas ganharão R$ 1 mil. O pagamento é feito em duas parcelas. A primeira é de 75% do valor total, paga após a aprovação pela Seduc. A segunda será repassada às escolas que atenderem às seguintes condições: comprovação da execução da ação de cooperação técnico pedagógica com as escolas que tenham obtido os menores resultados; manutenção ou elevação dos bons resultados obtidos e melhoria dos resultados da escola apoiada.
“Essa é uma das estratégias mais eficientes do Mais Paic. A gente entrega 75% do prêmio e os outros 25% ficam condicionados a ela continuar bem e a ter conseguido ajudar outra escola. Esse plano é reconhecidamente eficaz no mundo inteiro, que é a parceria entre escolas trocando experiências”, argumentou o secretário Rogers Mendes, que classificou como “processo histórico a ser intensificado a cada ano” a pactuação entre os municípios.
Camilo atribuiu o sucesso do Ceará nos resultados da Educação ao planejamento que garante motivação e reconhecimento para alunos, professores e administradores de todas as 184 cidades do Estado. “Isso representa a vocação que o Ceará tem ao estímulo. Estamos juntos na compreensão de que apenas por meio da Educação é que podemos transformar a realidade que vivemos”, concluiu.

Determinadas a melhorar

Localizada no extremo sul cearense, a cidade de Salitre ingressou na mudança de realidade nos índices educacionais do Estado. Pelos resultados de 2017, sete escolas da localidade foram premiadas. “Uma revolução”, como define Antonia Lopes, diretora da Escola do Sítio Luiz Santiago dos Santos. “A gente veio de longe para representar a cidade, com muito orgulho e felicidade. Salitre é uma cidade distante, humilde, que enfrenta muitas carências, e estamos muito felizes de receber o prêmio para nos dar ainda mais motivação e assim continuarmos melhorando a qualidade do nosso ensino”.

A educadora Emanoela Campos de Souza é responsável por coordenar todas as escolas do 6º ao 9º ano no município de Graça. Para ela, cada ano de Escola Nota Dez é um motivo especial para seguir melhorando no que a educação local mais precisa. “É uma grande valorização, porque a gente vê um trabalho de todo o ano reconhecido. É uma grande inovação. Esse ano nosso município teve a melhor escola e o melhor 9º ano. Para as escolas essa é uma grande satisfação. Que o Governo do Ceará continue com a atitude, pois ela é de enorme importância”.
Diante de tantas histórias, de todos os cantos do Ceará, a vice-governadora Izolda Cela pediu aos homenageados que prossigam lutando para que essa ideia acerca da importância da Educação ganhe novos episódios de esperança. “Que um dia cheguemos a oferecer a escola pública com todo o necessário para construirmos um Estado melhor. A luta é forte e nos exige uma presença constante junto aos municípios cearenses”.

Critérios

Segundo o Spaece, 303.664 alunos do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental de 4.347 escolas públicas participaram da avaliação externa da Seduc, que identifica e analisa o nível de desempenho dos estudantes.
Para conquistar a premiação, todas as escolas devem atender os seguintes critérios: ter, no momento da prova, pelo menos 20 alunos matriculados na série e avaliados, além de ter, no mínimo, 90% de participação de alunos. No 2º ano, a pontuação deve ficar entre 8,5 e 10, enquanto as do 5º e 9º ano devem ter entre 7,5 e 10,0, em Português e Matemática.

Conquista de resultados

A avaliação, em 2017, mostra que 88,20% das crianças do 2º ano encontram-se alfabetizadas ao término dessa série. Em 2007, início da implantação do Programa, esse percentual era de apenas 39,9%. Houve ainda uma redução gradativa nos padrões não alfabetizados. Em 2017, 4,7% dos estudantes encontravam-se no padrão não alfabetizado. Esse número em 2007 era de 47,4%. Já a aprendizagem do 5º ano, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, melhorou em relação ao ano de 2008. Em Língua Portuguesa, o percentual de alunos no nível adequado subiu para 49,3%, enquanto, em 2008, o nível era de 6,9%. Em Matemática, era de 3,6% e passou para 36%.
O Ensino Fundamental II, que inclui as crianças do 6ª ao 9º ano, teve seu acompanhamento pelo Spaece, a partir de 2012. Naquele ano, o percentual de alunos no nível adequado em Língua Portuguesa era de 8,6%, subindo, em 2017, para 18,6%. Já em Matemática, o percentual de alunos no nível adequado passou de 3,9%, em 2012, para 9,5%, em 2017.
André Victor Rodrigues - Repórter   
Governo do Estado