TV Portal

Diário do Nordeste destaca a luta e superação das gêmeas "Marias" de Pedra Branca


Associação Peter Pan ganha novos leitos em expansão

Os pais das gêmeas Maria Alice e Maria Clara destacaram a importância da expansão Centro Pediátrico do Câncer, da Associação Peter Pan ( Foto: Kid Júnior )

As gêmeas Maria Alice e Maria Clara, de 3 anos de idade, desde dezembro de 2016 estão lutando contra o câncer. Elas foram diagnosticadas com Leucemia e têm o apoio da Associação Peter Pan, centro de referência no tratamento de crianças com câncer em Fortaleza e no Ceará.
Em uma rápida conversa com as irmãs, mesmo passando por essa dificuldade, não foi muito difícil arrancar um sorriso sincero delas. E a partir dessa semana, as gêmeas vão ter muito mais motivos para sorrir. Isto porque foram entregues, em solenidade realizada na noite de ontem (5), dez novos leitos no 3º andar da unidade. O espaço faz parte da expansão do Centro Pediátrico do Câncer (CPC), que continuará em obras até sua conclusão.
"Na medida do possível, elas estão se recuperando bem, mesmo estando em processo de quimioterapia. No começo foi bem difícil, mas aos poucos a gente vai se acostumando e entendendo mais. A força delas, ajuda bastante. Além disso, contamos com o apoio de todos da Associação Peter Pan. Estamos muito felizes em participar dessa inauguração", revela a mãe das meninas, Ana Rita Maciel, natural do município de Pedra Branca, e que está morando em Fortaleza por conta do tratamento das duas filhas.
Já Lucas Raviele, 21 anos, pode falar com propriedade sobre o turbilhão de emoções que os pacientes e colaboradores vivem diariamente. Ele, que entrou como paciente aos 5 anos, hoje, comemora sua nova vida, curado, e como membro da equipe da Associação Peter Pan.
"Eu entrei na Associação muito novo, com cerca de 5 anos. Em uma brincadeira, meu pai acabou descobrindo um leve inchaço na minha barriga. Foi quando descobrimos que eu estava com câncer. Do diagnóstico da doença até o diagnóstico de cura foram 12 anos. Meses depois, eu já fui contratado e estou há 5 anos. Trabalhar aqui é diferente porque eu sei exatamente o que as crianças e os pais estão passando. Sou muito grato em puder ajudar, assim como eu fui ajudado", explica.
Segundo Olga Freire, presidente da Associação Peter Pan, "A palavra que resumiu a inauguração é gratidão. A Expansão é de vital importância para as crianças e os jovens atendidos no Centro Pediátrico do Câncer que, atualmente, já funciona em sua capacidade máxima. A vida não espera. Por isso, a urgência em inaugurar os dez leitos, garantindo a qualidade e o atendimento da demanda crescente.
Referência
Atualmente, a instituição conta com um Programa de Diagnóstico Precoce e um Serviço de Atendimento aos Pacientes, com 22 Programas Sociais, atendendo cerca de 2.500 crianças e jovens. Para atender a demanda, a Organização conta com cerca de 300 voluntários que ajudam nas demandas diárias.

Conteúdo Diário do Nordeste