TV Portal

Hemoce atende mais de 540 hemofílicos

alt
O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), da rede pública do Governo do Ceará, é referência no tratamento a pacientes com hemofilia no Ceará. São mais de 540 pessoas atendidas no hemocentro de Fortaleza e nas unidades do interior. Nesta quinta-feira, 4 de janeiro, é comemorado o Dia do Hemofílico. O Hemoce conscientiza a população sobre os cuidados e tratamentos para esses pacientes.


A hemofilia é uma doença genética que impede a coagulação do sangue. Um corte superficial pode provocar sangramento intenso.  Antes de descobrir que era portador de hemofilia uma ida ao consultório do dentista era motivo de pavor para o cobrador de ônibus, de 29 anos de idade, Flaudizio Alves.

"Eu não tinha medo do procedimento, mas das consequências. Porque sempre que precisava fazer uma simples obturação ficava sangrando sem parar. Teve uma vez que fui parar no hospital porque o sangramento foi muito forte e eu não sabia que tinha hemofilia", conta.

Como realizar o exame

O diagnóstico é feito através de um exame laboratorial que verifica a dosagem do fator de coagulação no sangue. A doença pode ser classificada em hemofilia A ou B dependendo da ausência dos fatores apresentados no exame.

O Hemoce disponibiliza o exame para investigar a hemofilia. No caso do Flaudizio ele só descobriu a doença aos 20 anos de idade quando precisou passar por um procedimento cirúrgico. O forte sangramento pela falta de coagulação no sangue chamou a atenção dos médicos que encaminharam o paciente para tratamento no Hemoce.

"Foi  no ambulatório do Hemoce que eu fiz os exames, descobri a doença e logo iniciei o tratamento. Antes eu não conhecia sobre a hemofilia. Sentia dores nas articulações por conta dos sangramentos internos, desenvolvi uma artrose no joelho e sofri bastante, mas há nove anos eu faço o acompanhamento com hematologistas, dentista, ortopedista e tudo isso me ajudou a ter mais  qualidade de vida", destaca.

Funcionamento do serviço

O Hemoce atende os portadores de hemofilia há 34 anos e a partir de 2008, em parceria com o Ministério da Saúde, o fator de coagulação para suprir a ausência dos fatores deficientes dos hemofílicos, passou a ser distribuído para os pacientes levarem para casa. Atualmente as consultas são feitas com hematologistas regularmente no Hemoce, mas os pacientes levam a medicação para fazer a autoinfusão em casa, de acordo com a recomendação médica.

Em Fortaleza, o atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 7 às 18h. Já a farmácia, que oferece o fator de coagulação, fica aberta 24h. Nas unidades, os hemofílicos são assistidos por uma equipe multidisciplinar composta por médicos, farmacêuticos, bioquímicos, enfermeiros, fisioterapeutas, odontólogos, assistentes sociais e psicólogos.
Hemofilia

A hemofilia é uma doença genética causada pela ausência dos fatores VIII ou IX da coagulação, levando a um sangramento por mais tempo. Estudos mostram que os homens são os mais afetados pela doença e a maior parte é de origem hereditária. Existem dois tipos de hemofilia tipo A ou B o que diferencia um do outro é o fator de coagulação que a pessoa deixa de produzir naturalmente. Considerada rara, a hemofilia afeta geralmente homens. Os sintomas mais comuns são sangramentos musculares e nas articulações e hematomas.

Dia Nacional do Hemofílico

A escolha da data está associada ao falecimento do famoso cartunista e hemofílico Henfil. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil tem cerca de 12 mil pessoas que sofrem com a doença.


Serviço:
Ambulatório de Coagulopatias e Hemoglobinopatias do Hemoce
Telefone (85) 3101.2310


Assessoria de Imprensa do Hemoce

Natássya Cybelly