TV Portal

Em Tauá, professores aprovam greve por tempo indeterminado

Fotos: Blog do Wilrismar Holanda

Os professores da rede municipal de Tauá aprovaram movimento grevista por tempo indeterminado. A categoria decidiu em Assembleia Geral, organizada pela Comissão Municipal do Sindicato APEOC na manhã desta quinta-feira (14) paralisar as atividades a partir de segunda-feira (18). O principal motivo é o atraso no pagamento do salário de novembro. O assessor jurídico do Sindicato APEOC, Augusto Neto; e o assessor político, Roque Melo participaram do evento.

Segundo o presidente da Comissão Municipal, Alci Oliveira, o dinheiro deveria ter sido depositado no dia 30/11, mas até agora a Prefeitura não honrou o compromisso. Depois de algumas tentativas de negociação frustradas, os servidores da Educação decidiram suspender as atividades. A Prefeitura já foi notificada sobre a paralisação. O Sindicato também informou oficialmente a decisão da Assembleia à Câmara Municipal de Tauá.

Entenda o caso

De acordo com a Lei Orgânica do Município de Tauá, o salário dos servidores municipais deve ser depositado até o dia 30 do mês corrente. No último dia 1º de dezembro, a secretária de Educação, Gertudes Mota, lançou nota pública afirmando que o 13° salário seria pago no dia 05/12, ou seja, com cinco dias de atraso. A nota não informava sobre o pagamento do salário de novembro. Diante da situação, a Comissão Municipal do Sindicato APEOC solicitou audiência com prefeito Carlos Windson para reivindicar a regularização do vencimento.
O prefeito disse que não tinha previsão de pagamento do salário de novembro e afirmou que iria depositar o 13° em breve. O Sindicato APEOC questionou o atraso da remuneração e realizou várias mobilizações na cidade. No dia 06/12 os professores paralisaram as atividades nas escolas da sede e de alguns distritos da zona rural. No dia 07 de dezembro, o 13° salário integral foi pago, mas os servidores reivindicam o pagamento imediato do salário de novembro.
Além dessa pauta, os profissionais da Educação de Tauá também reivindicam o pagamento de anuênio e quinquênio; a readequação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR); e os pagamentos do 13º salário remunerado dos anos de 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015; entre outros.
O Sindicato APEOC continuará acompanhando a luta da categoria e espera que a gestão municipal se posicione sobre a reivindicação dos profissionais da Educação.

Assessoria de Comunicação Sindicato APEOC