TV Portal

Comerciante denúncia circulação de dinheiro falso em Pedra Branca

Resultado de imagem para dinheiro falso
Foto Reprodução internet 
Em Pedra Branca os comerciante que já vem enfrentando problemas com a baixa movimentação de clientes, devido, principalmente a falta das agências bancárias destruídas em ações criminosas.
Agora enfrentam outro problema, a circulação de dinheiro falso, que acarreta em prejuízos. 

Nossa reportagem foi procurada por um comerciante na noite desta quinta-feira (24),  para alerta a população principalmente aos comerciantes,  sobre um derramamento de dinheiro falso na cidade na cidade.
O mesmo que não quis se identificar, informou que ele e outros  comerciantes tem sido vítimas  de falsificadores. 
Os estelionatários procuram comércio de grande movimentação, bares, pizzarias, postos de combustivos e mercantis para aplicarem o golpe. 
Onde realizam compras de baixos valores e pagam com notas falsas,  principalmente de R$ 100 reais, que acarreta em troco, transformando dinheiro falso em verdadeiro para o criminoso.

Como reconhecer?
Os especialistas chamam atenção para alguns pontos importantes.   Ficar atento à textura do papel, que é mais áspero que o papel comum, o autorrelevo e veja a marca d'água: segure a cédula contra a luz e observe se aparecem as figuras que representam os animais. 
Nas notas de R$ 10 e R$ 20 os números mudam de cor. Todas as notas contêm um fio de segurança. As de R$ 50 e R$ 100 também possuem uma faixa holográfica, que fica no canto da cédula.
O Banco Central disponibiliza um aplicativo que pode ajudar a tirar algumas dúvidas. Auxiliando na identificação dos elementos de segurança.
Além do aplicativo, o Banco Central também disponibiliza uma página na internet que ajuda a identificar notas falsas.
Falsificar dinheiro é crime. A pena pode chegar a 12 anos de prisão


Falsificar, fabricar ou alterar moeda metálica ou papel moeda de curso legal no país ou no estrangeiro é crime previsto no artigo 289 do Código Penal. A pena varia de três a 12 anos de prisão e multa. Estará sujeito à mesma pena quem importar ou exportar, adquirir, vender, trocar, ceder, emprestar, guardar ou introduzir na circulação moeda falsa. Mesmo tendo recebido de boa fé, comete crime, com pena prevista de seis meses a dois anos e multa, quem a recebe e a mantém em circulação, repassando a outros.
Os cidadãos também devem estar atentos às cédulas danificadas. Conforme a Lei 8.697/93, toda cédula que contiver marcas, rabiscos, símbolos, desenhos ou quaisquer caracteres estranhos, deve ser retirada de circulação. Quando isso ocorrer, a cédula ou moeda será depositada ou trocada em estabelecimento bancário, que a recolherá ao Banco Central para destruição. A mesma lei estabelece que ninguém será obrigado a receber, em qualquer pagamento, moeda metálica em montante superior a cem vezes o respectivo valor de face.
Já pela Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei 3.688/1941), quem se recusar a receber pelo seu valor a moeda legal do país está sujeito a multa. O decreto proíbe ainda usar como propaganda qualquer impresso ou objeto que possa ser confundido com moeda.

Portal de Notícia CE