TV Portal

Cearense vende doces, dá aula particular e abre campanha para bancar estudos na França








Estudante espera juntar R$ 10 mil em campanha online (Foto: Reprodução)

 
O sonho de estudar no exterior não é barato. O estudante de Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Laio Guimarães, de 23 anos, entende que, para pagar os custos dos estudos na França, é preciso correr atrás. Laio vende água, brownie, cocada, achocolato e até rifa. É também professor particular de física, matemática e química. E para bancar esse sonho ele ainda abriu uma campanha de financiamento coletivo na Internet.
Laio foi aceito no Instituto Nacional de Ciências Aplicadas de Estrasburgo (Insa), na França, e poderá cursar Engenharia Civil e ainda estagiar no exterior. Tudo isso no período de um ano letivo, que começa já em agosto. 
Ele criou a campanha #GoLaio, no site de financiamento coletivo Kickante, e definiu a meta de R$ 10 mil - 10% é destinado à plataforma. O valor contudo, não cobre os custos com visto, passagens, moradia e alimentação. "Dimensionei que precisaria de algo em torno de R$ 40 mil. Não é pouca grana, mas meu sonho é grande suficientemente para que eu acredite que conseguirei", diz no texto de apresentação da campanha.
  


Estudante Laio Guimarães
Além da campanha, Laio trabalha com aula particular de matemática, física e química e vende doces para juntar o dinheiro (Foto: Reprodução/Facebook)
Em entrevista ao O POVO Online, o estudante do sétimo semestre afirma que a vontade de fazer intercâmbio vem desde o Ensino Médio, mas quando a hora chegou, houve o corte nas bolsas pelo Governo Federal. Laio Guimarães se submeteu diretamente com a Universidade francesa. O processo, que teve apoio da UFC, começou em março. Serão seis meses de imersão acadêmica e outros seis meses de estágio em uma empresa da área.
"O que me motiva bastante é o acesso a um conhecimento que, muitas vezes, não está disponível aqui no Brasil. Embora o ensino Federal seja fantástico, ainda há atraso", avalia. "Estarei longe da família, sozinho, com um idioma que, embora domine relativamente bem, tem suas dificuldades". 
Até agora, Laio conseguiu R$ 4.500. Desses, apenas R$ 350 foram por meio da campanha online. 
Para a coordenadora do curso de Engenharia Civil da UFC, Áurea Silva Holanda, a iniciativa do estudante reflete o período de crise que o País atravessa. Em abril deste ano, O Ministério da Educação (MEC) decidiu restringir o Ciência Sem Fronteiras (CSF) para estudantes de pós-graduação. O programa, lançado em julho de 2011, tornou-se uma das principais bandeiras do governo Dilma.
"O Laio é um menino determinado. É louvável que ele esteja procurando realizar esse sonho da forma que é possível", afirma. "A educação, que é um agente modificador do País, vive um momento de tristeza", provoca. "Mas os países de primeiro mundo saem da crise justamente com investimentos em ciência e tecnologia".
Campanha #GoLaio 
Ou doe pelas contas bancárias: 
Banco Itaú
Agencia: 1646
Conta: 09688-1 
Laio Guimarães Oliveira 
CPF: 05137408301
Caixa Econômica Federal
Agência: 1956
Operação: 013
Conta: 00063163-1 


Conteúdo O Povo