Criança procurada pela mãe durante um mês na Bahia é encontrada com o pai em Fortaleza




Um trabalho de investigação desenvolvido em conjunto envolvendo as Polícias Civis dos Estados do Ceará e da Bahia resultou na elucidação de um caso que iniciou na cidade baiana de Luís Eduardo Magalhães, cujo um pai havia trazido a filha de nove meses para o município de Fortaleza, sem o consentimento da mãe da criança. O homem foi localizado no bairro Messejana – Área Integrada de Segurança 03 (AIS 03), na noite dessa quinta-feira (04). 

Tudo começou no dia 06 de abril deste ano, quando o suspeito identificado por Carlos Henrique Martins de Araújo (36), natural de Tocantins, foi até a residência de sua ex-companheira, na Bahia, no intuito de encontrar a filha. Durante a visita, o homem, que também residia na cidade baiana, alegou que iria se mudar para a África. Sob este pretexto, ele pediu que a mãe da criança colocasse peças de roupas em uma bolsa, pois iria levar a menina para tirar algumas fotos e guardaria as imagens como lembrança, uma vez que não tinha mais interesse na guarda da filha. Horas mais tarde, a mulher entrou em contato com Carlos, que já não atendia mais as ligações. 

Em uma carta deixada por ele, a mãe da criança leu o relato do homem dizendo que havia levado a criança embora, e que ela nunca mais encontraria a filha. Ela então procurou a Polícia Civil baiana e as investigações iniciaram e culminaram na localização do homem. O trabalho de diligencias em Fortaleza, no intuito de encontrar o suspeito, bem como abordá-lo, foi desenvolvido por policiais civis da Divisão de Inteligência Policial (DIP) da Polícia Civil do Estado do Ceará. De acordo com o delegado Renê Andrade, que esteve à frente da operação policial na capital cearense, juntamente delegado Luís Carlos Dantas, o homem havia subtraído a criança, em razão de não concordar com a guarda compartilhada. 

A menina, que foi entregue a mãe, foi levada por uma equipe do DIP até o Conselho Tutelar do Município de Fortaleza. Mãe e filha já retornaram para o Estado do Bahia, nesta manhã (05). A lavratura do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foi realizada no plantão da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa) e o suspeito responderá no Ceará, em liberdade, pelo exercício arbitrário das próprias razões. Já na Bahia, existe um inquérito em andamento em que Carlos é investigado por sequestro e cárcere privado. 
Fonte: SSPDS

TV Portal